QUATI, Jung e Tipologias

Se você já é graduado em Psicologia provavelmente já escutou falar do teste QUATI, e, se você é ainda estudante e não ouviu falar, calma que você irá saber agora do que se trata.

Não é o bichinho fofo, é um Teste Psicológico


Segundo pesquisas, o Questionário de Avaliação Tipológica, ou QUATI como é chamado, foi desenvolvido no Brasil no Instituto de Psicologia na Universidade de São Paulo sob orientação da Professora Doutora Anna Mathilde P.C. Nagelschmidt em meados de 1989.

Sua construção com base na tipologia junguiana (que vamos tratar brevemente aqui), resultou em um questionário aplicado á população brasileira de fácil aplicação, correção e entendimento, e que não sejam necessários muitos pré-requisitos para sua aplicação.

E por sua facilidade, se torna um teste prático e muito utilizado.

O QUATI é um teste de personalidade objetivo, ou seja, ele é baseado em um questionário tipológico no qual caracteriza os examinandos. Este questionário tem 93 questões, pode ser aplicado em pessoas a partir da oitava série, não há marcação de te tempo, e, em todas as questões deverá marcar opção A ou B de acordo com o que a pessoa faria em cada situação mencionada.

O que a pessoa faria e não o que ela GOSTARIA de fazer.

Assim, de acordo com as respostas dadas, uma correção minuciosa e uma análise contextualizada na demanda do examinando, temos o que chamamos de tipologia. Tipologia é uma maneira de identificar as diferenças e semelhanças que as pessoas possuem.

Ao contrário do que as pessoas acreditam, ela não é para rotular (na verdade nenhum teste é), mas é para auxiliar no desenvolvimento e prognóstico do cliente. É necessário entender que testes no geral, e isso inclui o QUATI, não tem como pretensão mostrar o indivíduo por inteiro.

Não é um passe de mágica.

A singularidade e dinamismo de cada pessoa devem ser levadas em consideração e estas ultrapassam qualquer ferramenta ou abordagem existe.

O ser humano e sua mente são dinâmicos.

Os testes são uma ferramenta para relevar uma pequena parte do potencial que o ser humano possui. Então, quando categorizamos os indivíduos em tipologias não estamos rotulando, mas agrupando a partir das diferenças e semelhanças encontradas em uma determinada característica.

E, no QUATI a constituição dele tem base nas tipológicas construídas por Jung.

Tipos Psicológicos de Jung


Jung em sua Teoria da Personalidade construiu tipologias ligadas ao homem e ao mundo, definidas a partir de estilos cognitivos e de comportamento individual.

O modelo tipológico de Jung é baseada na visão de arquétipos ligada a psicologia analítica. E, de modo geral, ele classificou em quatro tipos principais que são: pensamento ou psicotismo, sentimento, sensação e intuição. Sendo que, estes são divididos em classes de saber racional (ou julgamento) ou irracional (ou perceptivas).

Quando há a aplicação do teste, estes dados tipológicos não se apresentam tão prontamente, é necessária uma correção para categorização.

E, nesta categorização podemos encontrar:

  • Atitude: que pode ser Extrovertido ou Introvertido;
  • Função Principal: que pode ser Intuição ou Sensação;
  • Função Auxiliar: que pode ser Sentimento ou Pensamento/Psicotismo.

Eu recomendo fortemente se você tem interesse no assunto aprofundar na teoria junguiana para entender melhor a relação dos arquétipos na construção da tipologia. Mas, em linhas gerais, estas foram às primeiras tipologias construídas pelo Jung e o que elas significam:

  • Pensamento ou Psicotismo: Esta é uma função de julgamento, de pessoas que tomam decisões em padrões lógicos, adotam conceitos, classificações e dirão o que a coisa é.
  • Sentimento: Pessoas que tomam decisões a partir de sua particularidade tendem a apresentar esta tipologia, informam através de carga emocional e sentimental e mostram facilidade para viverem em situações informais.
  • Sensação: Pessoas com predomínio desta tipologia vivem intensamente o presente, são realistas e podem descrever como a soma total das percepções do indivíduo a partir de seus sentidos.
  • Intuição: É aquele palpite ou sexto sentido sobre determinado evento, pessoas que percebem o todo e são imaginativas. A intuição relaciona-se com o tempo, já que o “pressentimento” é dado antes pela mente e confirmado depois pelo meio.

Mas, Jung percebeu que a atenção que um indivíduo apresenta pode ser interna ou externa. Assim, ele construiu duas outras tipologias para relacionar a mobilidade de atenção do sujeito.

Ou seja, o foco de atenção do individuo pode ser Introvertida e Extrovertido.

  • Introvertido: Pessoas que tendem a se aprofundar em determinado assunto, se tornando especialistas no mesmo. Tende a desvalorizar as coisas das outras pessoas, e negar sua importância, e, há em conjunto uma introversão social.
  • Extrovertido: Tem atenção e foco em situações de relacionamento direto com o individuo, antes de entender as coisas, a pessoa com a predominância nesta tipologia experimenta antes, e, tem sua influencia na opinião pública. É expansivo, sua consciência tem forte influência sobre o meio e em conjunto há uma extroversão social.

E assim constituem-se as tipologias encontradas no QUATI.

Além do significado individual de cada tipologia, há também a significação da combinação delas. Isto porque, no final da correção você terá 3 tipologias que são predominantes e a relação entre elas também é uma ferramenta de análise.

Por exemplo, um indivíduo que apresenta Extroversão e Sensação é, geralmente, determinado pela realidade objetiva. São realistas, obstinados e práticos, aceitam o mundo como ele é, são amantes com sentimentos superficiais, se desapegam com facilidade e vivem em função das sensações que podem extrair da vida.

Não é possível explicar sobre todos os tipos de combinações possíveis porque é algo extenso e muito profundo para se tratar em um artigo. Mas, é importante estar claro que apesar de ser um questionário e de classificar os indivíduos em categorias, o teste não é superficial e tampouco tem o objetivo de rotular as pessoas.

Tá, mas qual o objetivo do QUATI, então?


Ele tem como objetivo classificar os examinandos em suas semelhanças e diferenças.

E, esta função pode se tornar importante em situações de organização de grupos, na detecção e solução de conflitos, treinamento e remanejamento de grupos, criação de programas de ensino, orientação de pais e professores, orientação vocacional e até aconselhamento familiar.

O QUATI é muito popular em Orientação Vocacional ou Profissional, justamente por trazer à tona a personalidade do examinando de forma eficiente. 

Mas, a partir do momento que há pretensão de avaliar a personalidade e que o profissional responsável julgar ser importante a aplicação do mesmo é possível a utilização desta ferramenta. Afinal, a avaliação tipológica baseada em testes e questionários, bem como Avaliação Psicológica por completo, é de grande valia para profissionais preparados para uma análise baseada no dinamismo do sujeito.

Espero que tenham gostado deste conteúdo.

E se você tem dúvidas, sugestões ou comentários escreva aqui embaixo e vamos conversar!

Autor Tássia Garcia

Tássia Garcia

@tassiagarcia

Eu sou Tássia Garcia, psicóloga por formação e empreendedora por vocação. Aprendi estudando, errando e praticando que ser Psicóloga é muito mais que eu aprendi na graduação. Atualmente utilizo meus conhecimentos em avaliação psicológica, inovação profissional e a experiência como coach e consultora para auxiliar outros profissionais a se posicionarem no mercado, construir estratégias de marketing e terem maior reconhecimento.

Oops... Faça login para continuar lendo



Interações
Comentários 4 0