Bem-vindos à socionomia do lendário Dr. J. L. Moreno, psicodrama = teatro terapêutico

A possibilidade de apropriar-se de uma intervenção terapêutica com a ludicidade, densidade e movimento da arte cênica do teatro, somente um amante dessa linguagem artística para transformar as histórias de vida em dramatizações da realidade pura. Assim fez para a Psicologia na abordagem que foi vivenciada, fundada e paternalizada pelo Dr. Jacob Levy Moreno, o PSICODRAMA, ou seja, na verdade, a SOCIONOMIA. Antes de matar a curiosidade sobre a Socionomia de Moreno, ao invés do Psicodrama, vale ressaltar a essência de seu criador.

O menino Moreno (nascido em 1889 na Romênia da época da Inquisição) veio aos cinco anos para Viena com sua família. Nesta idade, em brincadeira com outras crianças, torna-se “Deus” com certo humor, e seus anjos o pedem para voar, conclusão, fratura o braço direito. Isso levou a entender mais tarde em sua teoria, a relação da espontaneidade com o que ele acreditava que todos nós temos, sendo a centelha divina.


Até a década de 20, envolvido com o seu papel religioso, Moreno funda a “Religião do Encontro”. Nesse sentido, com barbas, pelas ruas como os mais pobres, busca perceber como as interações humanas aconteciam. Um dos seus hobbies é nos jardins de Viena para jogar com as crianças no improviso e espontaneidade. Em 1914, junto de um médico e jornalista, realiza um trabalho com as prostitutas, e dentre suas técnicas de grupo, eleva o protagonismo da categoria no jogo social, fazendo conscientizar para a fundação de um sindicato.

Moreno formado em Medicina em 1917 encanta-se pelo Teatro, no qual via infinitas possibilidades para a experimentação da espontaneidade. Já em 1921, criou o Teatro Vienense da Espontaneidade, saindo daí suas cientificidades do Psicodrama e a Psicoterapia de Grupo. De maneira estranha e ao mesmo tempo inovadora, o Teatro de Moreno era feito com dramatização espontânea, sem roteiro, sem combinados e os atores atuando só por própria essência com os espectadores. Seu projeto chamado “Jornal Vivo”, as notícias do dia eram dramatizadas com os participantes, saindo daí o Sociodrama.

Na data 01 de Abril de 1921, parecendo confrontar o dia da mentira, Moreno apresenta o Psicodrama num teatro de Viena, com a participação de autoridades e personalidades da época. Num período de reconstrução pela passagem da 1º guerra mundial, Moreno sozinho num palco, mostrando um trono, cedro e coroa, convida os presentes a quem poderia se habilitar para assumir esse protagonismo. Moreno foi vaiado e hostilizado.

Saindo de Viena e indo par aos EUA em 1925, fez de Beacon seu reduto e acampamento de seus trabalhos com o Psicodrama. O termo Psicoterapia de Grupo em caráter científico foi adotado definitivamente em 1931. Por fim, com 85 anos em 1974, Moreno falece deixando um legado de ciência, filosofia humana, teoria e técnica. Em sua lápide está: “Aqui jaz aquele que abriu as portas da Psiquiatria à Alegria”.


PSICODRAMA OU SOCIONOMIA???

Um exemplo de como uma parte pode realmente potencializar o todo, é a questão do Psicodrama em relação à Socionomia. Falar Psicodrama é falar Socionomia. A ciência que estuda as leis das interações sociais e as estruturas das relações para a Psicoterapia Interpessoal, pois SOCIUS é o individuo com seu grupo e NOMIA é estudar, assim virando o “estudo das interações relacionais”, chamando SOCIONOMIA. O foco desses estudos passa por premissas conceituais que caracterizam na mescla da subjetividade / psicológico com a objetividade / social e como os sujeitos se relacionam. A teoria socionômica parte-se em:

• SOCIODINÂMICA – estudo das estruturas dinâmicas dos grupos, percebe as relações, os papéis e suas representações, organização, pensamento e desenvolvimento do grupo. Técnicas utilizadas: Role Playing (treinamento e adequação de papeis), Teatro Espontâneo, Jornal Vivo, Psicodrama na Educação, Psicodrama Público, Psicodrama nas Instituições.

• SOCIOMETRIA – metrum é medir em latim. Mensura as relações sociais e as escolhas de seus indivíduos nas suas interações, a qualidade e quantidade dos vínculos (atração e repulsa), as redes sociométricas, átomo social (relação sujeito e o grupo), capacidade télica (trocas de sentimentos das funções e dos papeis). O instrumento utilizado é o Teste Sociométrico, amplia a compreensão da complexidade relacional das escolhas pessoais, revelando a realidade social que não fica exposta.

• SOCIATRIA – iatreia = terapêutica. Estudo científico das técnicas de tratamentos dos sistemas sociais. Portanto, é preciso considerar as diversidades inter-relacionais do indivíduo e grupos para o foco terapêutico ou psicoterapêutico: Algumas ferramentas são: Psicoterapia de Grupo, Psicodrama, Sociodrama, Jogo Dramático, Psicodrama Individual, Psicodrama Bi-Pessoal, Psicodrama de Casal, Psicodrama Infantil, Sociodrama Público, Sociodrama Institucional, Sociodrama Educacional, Sociodrama Familiar, Role Playing e etc.

Dentre as técnicas já citadas acima, destaca-se o Psicodrama (psiquê = alma & drama = ação) e o Sociodrama (sócio = amigos & drama = ação), diferem-se no aprofundamento dramático do indivíduo no grupo (o indivíduo é o protagonista) e outro nas relações intergrupais e da coletividade (o grupo é o protagonista) respectivamente. Nesse sentido a “Alma em Ação” e a “Ação entre amigos” têm como interseção das relações os movimentos e as ações subjetivas que estão sustentadas nos contextos interacionais sociais de cada indivíduo e grupos.


ENFIM, COMO PENSAR O PSICODRAMA DO MUNDO E DE MORENO?

Agora podemos falar mais do Psicodrama, depois de entendermos que sua citação, vai além de identificar a sua função instrumental de intervenção humana, também descreverá toda a dimensão da ciência da Socionomia de Moreno. Mas por enquanto, como já utilizado em caráter de entendimento e “marketing terapêutico”, vamos manter o termo do Psicodrama como vertente de toda a construção de visão de mundo proposto por seu criador.

Em grego, DRAMA significa AÇÃO. Mas o Psicodrama é uma proposta de análise e investigação da nossa alma humana diante das próprias ações. O seu método de pesquisa abrange as inúmeras intervenções advindas das relações interpessoais, em grupos, inter-grupais ou consigo mesma. Manifesta a provocação de viver a realidade com as descobertas dos conflitos e as diferenças nas relações, desde modo o psicodrama apresenta um caminho para resolução, aprimoramento dos papeis e a expansão dos recursos intrínsecos de cada sujeito.

Moreno almejava uma transformação social tão profunda com o Psicodrama, proferia que “um procedimento verdadeiramente terapêutico não pode ter um objetivo menor do que toda a humanidade”. Mas não é por menos que um homem, que tinha amor pelo Teatro e pelas relações humanas vinha com esse olhar grandioso, e não somente isso, promove o rompimento do modelo do setting terapêutico para uma arquitetura inovadora, audaciosa e questionável quando se incorpora termos do Teatro na práxis do terapeuta.

A seguir temos um esquema da dinâmica básica de funcionamento do Psicodrama:

 

Instrumentos:

• Diretor: é o agente terapêutico (psicoterapeuta ou terapeuta)

• Egos Auxiliares: é o auxiliar para representar os ausentes ou mesmo o protagonista, podendo interagir e promover a catarse terapêutica

• Protagonista: em grego, se oferece primeiro a ação, para sofrer e morrer no lugar do outro. É o ator central ou principal de suas cenas.

• Palco / Cenário: lugar da cena no físico e no intersubjetivo

• Plateia / Público: demais do grupo que se beneficiam pela entrega do protagonista, fazendo ressoar em todos os encontros catárticos de suas histórias

Contextos:

• Individual: a dramatização é no privado

• Grupo: a dramatização é no coletivo

• Social: mobiliza as interações dos papeis sociais quanto sociedade o grupo

Etapas:

• Aquecimento Inespecífico: é a preparação para os canais de comunicação e canalização das energias das cenas, promover o acolhimento inicial

• Aquecimento Específico: início de construção de cena, dos personagens, protagonista, podendo ser privado ou público

• Dramatização: “como se”, atuação de instrumentos apresentados na Sociatria

• Compartilhar: “sharing”, revelações a partir das trocas e das teles do protagonista e do grupo, as ressonâncias, as catarses, e as identificações das histórias de relação com os sentimentos e emoções

• Processamento: momento pedagógico e de análise, no qual o diretor eleva com sua contribuição de conhecimento da teoria para os procedimentos realizados e as ações posteriores.


Existem diversos outros conceitos que Moreno explicitou em sua teoria das relações sociais, porém ficará para outros momentos de aprofundamento em materiais futuros. Mas em resumo básico, foi tentado colocar até aqui uma breve descrição da trajetória de Moreno, a explicação da sua ciência socionômica e como se constitui o sentido e praticidade do Psicodrama. O saber sem um direcionamento de utilidade prática no mundo real contemporâneo, perde-se o interesse na aquisição das técnicas ou multiplicação de profissionais psicodramatistas em ação nos ambientes relacionais. Enfim, como e onde aplicar o Psicodrama?

O PSICODRAMA DO AQUI E AGORA

Da época de Moreno até os momentos atuais, o Psicodrama se desenvolve quanto teoria e vivência transformadora. Nesses 98 anos de Psicodrama, a teoria e técnica aprimoraram com profissionais que fizeram acontecer nos processos terapêuticos, com novas formulações psicodramáticas para o estudo das emoções humanas e grupos. Além disso, outras modalidades psicodramáticas surgiram, pois além de gerar o envolvimento entre as pessoas, serve para mediar os movimentos das dificuldades, das idealizações, dos conflitos, éticas e moralidades, e as expressividades da relação.

A palavra dramatização, por vezes gera certa resistência e estranhamento, pois está atrelado ao estereótipo do senso comum de interpretações de comicidade e humor, num contexto de uma linguagem teatral marcada pelos palhaços, humoristas e demais atores expressivos. Mas ao adentrar nas cenas psicodramáticas, essa percepção é confrontada, pois irá tocar na própria história de vida, de maneira séria e respeitosa. NÃO SE BRINCA COM A HISTÓRIA DO OUTRO. Nesse sentido, focaliza-se uma descoberta das próprias experiências emocionais e dos demais presentes, tornando todos agentes transformadores quando encontra uma cena de vida de si ou alheia.


Sabendo disso, os profissionais psicodramatistas espalhados pelo Brasil e Mundo estão constantemente expandindo as potencialidades do Psicodrama, por novas formulações e compreensões humanas pela base do pensamento científico de Moreno. Parafraseando Einstein, que depois de uma ideia, a mente jamais se volta ao tamanho original. Não é diferente quando se tem novas ideias com o Psicodrama nas possibilidades de intervenção, nas produções científicas crescentes. Desta forma, os profissionais psicodramatistas crescem também para áreas diferentes da Psicologia, como para: pedagogos, médicos, administradores, assistentes sociais, coaches e todos aqueles que atuam diretamente com grupos.

Há uma multiplicidade de contextos de intervenção com o Psicodrama, isso amplia os acessos de diversas áreas de trabalho e profissionais que possam na aquisição dessa ciência e suas ferramentas práticas, potencializar suas ações em indivíduos, grupos e no social. Como exemplo, na categoria psicoterápica passa-se por hospitais, clínicas e consultórios psicológicos e médicos. Na categoria socioeducacional, contempla as escolas, entidades, empresas e comunidades. Na academia, mesmo que latente, o Psicodrama ainda é encontrado em algumas grades de graduação e pós-graduação nas tratativas de pessoas e coletivos em cursos de Medicina, Psicologia, Pedagogia e Ciências Sociais.

Importante salientar que o Psicodrama mostra ser um suporte teórico, filosófico, científico e instrumental para o trabalho nas relações interpessoais. Para tanto, o foco sócio-educacional apresenta perfis de atuação em instituições de reclusão da liberdade com detentos e familiares, em pessoas em situação de rua, na violência doméstica, orientação a indígenas, oficinas preventivas na saúde, aperfeiçoamento de equipes de profissionais hospitalares, na reinserção social, nas escolas com o psicodrama pedagógico e na assistência social com promoção de protagonismo. No foco psicoterapêutico, surge o campo da clínica em diversos tratamentos psicopatológicos sendo individual ou em grupo. O campo corporativo / organizacional apresenta demanda do terceiro setor com o desempenho de papeis e a dinâmica relacional, no institucional com construção de projetos de integração e criação coletiva, nas empresas em seleções e recrutamento pelo role-playing (jogo de papéis).

Na Arte, existem equipes de profissionais psicodramatistas que também constroem obras artísticas que pela ótica artística fazem dialogar com o Psicodrama de Moreno, como nas produções de espetáculos, oficinas, workshops e performances psico-artísticas. Uma sugestão de acessar o Psicodrama nesse lugar artístico, você pode acessar nas redes sociais o Psicodrama do Leste Mineiro que representa e exemplifica este formato de atuação. Mas ainda tem muita área não citada aqui, mas são contempladas pela essência psicodramática na ação do trabalho com o outro.

O PSICODRAMA (SOCIONOMIA) AGRADECE E MORENO TAMBÉM

Nesse momento primário, explanei resumidamente o Psicodrama aqui, e vem para marcar a entrada de uma proposta de percepção de homem e Mundo que possa contribuir significantemente com sua prática profissional. Vale ressaltar que há desafios de mercado, mas que já se tornou diferencial para aqueles que adquirem o conhecimento psicodramático. Isso tem gerado um enriquecimento de conteúdo de intervenção, fortalecimento da Psicologia na ação direta com sujeitos e grupos e reconhecimento de um perfil arrojado e dinâmico dos profissionais que venham ser psicodramatistas.

Os campos de trabalho para psicodramatistas são vastos, porém ainda centralizados em capitais brasileiras ou poucas grandes cidades de interior, mas ainda escasso para muitos locais que apresentam demandas crescentes no trato com os conflitos humanos. Como apresentado anteriormente, há muitas opções e diversas possibilidades de criações, mas precisamos trabalhar diferente para uma cultura que também seja, e assim, conseguirmos com auxílio do Psicodrama, chegar ao conhecimento de todos para uma procura de auto-descoberta.


Dentro da psicologia, seja ainda no âmbito acadêmico ou em setting terapêutico, não cabe mais negligenciar o saber de Moreno. A atualidade pulsa por movimento e ação, permanecer na ignorância por grades curriculares ainda veladas impossibilita renovar e atualizar a necessidade de revelar a estrutura da SOCIONOMIA como um pensamento científico / filosófico, mas respeitando o olhar criado sobre a potência da ação da palavra PSICODRAMA. A aplicabilidade da teoria como uma arquitetura terapêutica diferenciada que intersecciona com o Teatro os seus termos, para uma completude maior da investigação dessa psicoterapia da interação social.

Ser um profissional que dramatiza dentro de um arcabouço sustentável, concreto e filosófico, não lhe faz um ator ambulante ou um idiota psicodramatista, mas um versátil e imprevisível na arte de intervir. A compreensão e aplicação dos conceitos e das etapas do Psicodrama venham invadir qualquer categoria de trabalho que é pautado a observação e o alcance das especificidades do relacionamento dos grupos e seus sujeitos. No aqui e agora, além de um mercado exigente e carente de destaques na resolução das problemáticas humanas, venha contrapor na gigantesca possibilidade criativa e espontânea de profissionais de risco e arrojados.

Por fim, fica o convite para você conhecer mais de uma abordagem antiga, porém autêntica; profunda porém expressiva; dramatizada porém potente, que descreve o desafio de ser, fazer e viver o Psicodrama. Não é somente para o conhecimento dos futuros clientes em contextos diversos de intervenção, mas com os profissionais que chegaram até aqui nesse fim de artigo. Portanto, VOCÊ seja bem vindo ao mundo do PSICODRAMA e que também #SEJAPROTAGONISTA junto comigo!!!


Autor DEIVERSON TÓFANO

DEIVERSON TÓFANO

@DEIVERSOTOFANO

Mestre em Psicologia pela PUC Minas, Neo Acadêmico pela ALAC BR, Especialista Nível 3 em Psicodrama pelo IMPSI, Bacharel em Psicologia e Licenciado em Teatro pela UnB, Ator profissional, Coach pela SLAC. Fundador do PSICODRAMA DO LESTE MINEIRO, do grupo de teatro SACADA - ARTE EM MOVIMENTO e do Projeto Comunitário SACADA SOCIAL. Experiência em equipamentos públicos, com passagem por CRAS, CREAS, Centro Pop, Saúde, grupo terapêutico familiar, clínicas de recuperação da dependência química e APAE. Atua com psicoterapia clínica individual e de grupo com Psicodrama. é psicólogo do CRAS e realiza vivências, oficinas e cursos de formação e conhecimento voltado ao PSICODRAMA.

Oops... Faça login para continuar lendo



Interações
Comentários 2 0